Em 2012, iniciei um projeto de alma: fui viver sozinha dentro das casas de mulheres de comunidades rurais e isoladas pelo mundo. Eu queria viver como elas, trabalhar a terra, comer o que elas comem, entrar no ritmo e no tempo delas, para poder entender, através do meu corpo, de onde vem a força do feminino delas. Quais são as dimensões do "Ser mulher" que elas conhecem profundamente nelas mesmas e que eu, como mulher ocidental, moderna e urbana, não fui ensinada a sentir em mim.

Dois capítulos do projeto já foram finalizados, e resultaram em dois curta-metragens.

 

IMERSÕES NAS VIDAS DE MULHERES DO MUNDO

CURTA-METRAGENS

 

"Meus Dias com Ela"

EXIBIÇÕES

Festival Internacional de Cinema Feminino - FEMINA

Rio de Janeiro, 2014

Museu da Imagem e do Som - Cine MIS
São Paulo, 2014

1a Bienal Black Brazil Art

Curitiba, Florianópolis e Porto Alegre, 2019

"Sangue, Terra, Leite, Água e Sangue"

EXIBIÇÕES

 

Festival Internacional de Filmes Independentes de Nova Délhi

Nova Délhi - Índia, 2018

CURTA-METRAGENS

Nas minhas vivências na Colômbia e na Índia, fui com uma câmera na mão para registrar

o dia-a-dia e os aprendizados com as mulheres.

O resultado foram dois curta-metragens: 

 

MAIS SOBRE AS VIVÊNCIAS

 

colombia6.jpg

 

Vivi com a Chola, matriarca de uma família de 13 pessoas em Nuquí, uma comunidade afro-colombiana no norte do país, na costa do Oceano Pacífico. Remávamos em canoa de madeira rio acima, caçávamos ladrões de plátanos, dançávamos reggaeton nas noites quentes.

 

Vivi com Khila e Nisha em Burwa, uma comunidade hinduísta nas montanhas geladas dos Himalaias. Elas eram casadas com dois irmãos e dividiam a casa e os afazeres. Subíamos em macieiras, plantávamos feijões e batatas, lavávamos roupa agachadas nas águas geladas de neve derretida que descia das montanhas.

 

Dia+1+impure+copy.jpg

Mais sobre o projeto no site 13luas.com

 

JULIA PÁ

  • Grey Instagram Icon
zap.png

61  98321 9370